Category Archives: Indicações

1° Bienal Geek de Pernambuco

Olá, caros leitores. Tudo bem com vocês?  Ano passado ocorreu a Bienal Internacional do Livro de Pernambuco e mais uma vez foi um sucesso absoluto, uma das áreas que ganhou destaque na última edição foi o Távola Nerd, espaço de conteúdo nerd/geek comandado pelo Nerd Café e Potterando, com uma programação que reuniu vários veículos e pessoas envolvidas com esse segmento. O Távola recebeu nomes como Carlos Ruas (Um Sábado Qualquer), Cacyone Gomes (repórter da globo e amante da cultura geek), Thony Sillas (Desenhista da Marvel e DC), Carol Pimentel (editora da Marvel), Renata Ventura (autora de A Arma Escarlate) e vários outros nomes que abrilhantaram a programação, além de dias temáticos que lotaram o espaço no Centro de Convenções de PE.

Após o sucesso do espaço, foi anunciado na página do facebook da Bienal do Livro de PE que nos dias 26 e 27 de maio Pernambuco receberá sua primeira BIENAL GEEK! Um final de semana inteiro dedicado a cultura nerd/geek, mais uma vez em parceria com o Nerd Café e Potterando, junto com a Usina Coletiva (coletivo de quadrinistas pernambucanos) e que promete um grande momento para o cenário pernambucano.

As informações estão sendo divulgadas aos poucos através da página do facebook da Bienal e pela imprensa. Então, curtam as redes sociais do evento e fique ligado que vem muita coisa boa por aí.

Ainda não conhece Tempos de Olívia, de Patricia Maês?

Talvez em Tempos de Olívia se encontre uma das mais felizes definições do que seja a função de um artista hoje: “somos os gladiadores matando as feras que matariam os mais sensíveis.” Cada nova obra, como essa de PatriciaMaês, que é um banho de poesia, resgata o humano das aterradoras superficialidades vazias, ou seja, da “desumanização dos homens”.

Tempos de Olívia é prosa, mas prosa poética. Não se deixa levar pela simples narração objetiva. Acrescenta timbres inusitados e colore com notas emocionais cada frase. Faz com que nos adentremos na turbulenta psique de sua personagem Olívia, como se dentro de uma caverna escura pudéssemos sentir o frio das pedras, os desvãos das rochas, o intricado jogo de luz e sombra que nos confunde a realidade.

O medo diante da tela branca, da página sem uma palavra sequer escrita, de uma partitura muda: eis o drama do artista em seus momentos de crise criadora. O mote principal do romance de PatriciaMaês deriva desse drama. “O que houve comigo é que de repente abri mão de um caminho seguro e caí em um buraco de crise na criatividade.”

Diante da impossibilidade de criar, a personagem Olívia vai tecendo um universo amplo de investigações sobre si mesma e sobre sua relação com o mundo: seja o da arte, o do amor, o das amizades ou do seu público. No interior do romance, fica claro o drama do processo criador bloqueado cujo resultado é devastador, uma paralisia da própria vida que vai se constituindo em torno da personagem.

O drama da personagem é inicialmente exposto na ideia de que um cansaço a invadiu e é explicado pela ausência de ressonância de suas buscas espirituais e/ou artísticas no mundo externo, absolutamente vazio e superficial. Ela diz: “cansaço não de ofício, mas sim de existência interior para a qual não tenho visto correspondência nas coisas externas.”

A explicação sobre o sentido da existência dos artistas (esses “deuses tortos”) e da arte, é produzida no mesmo movimento da crise de criação que a envolve. Gerando uma reflexão sobre o sentido da própria crise, revela o resultado que a literatura teria na vida de seus leitores.

O artista seria, numa bela metáfora criada por Patricia Maês, aquele que “coloca o coração na ponta da lança e o oferece às feras.” E sua missão é clara: “A beleza é nosso papel, e só por ela estamos aqui.”

A Semana do Livro traz grande diversidade de atrações e muita reflexão e diversão!

“É urgente (re)escrever o presente”

 

E assim se apresenta a Semana do Livro – Narrativas Possíveis do Presente, evento que ocorrerá de 30 de novembro a 4 de dezembro.  As pautas, enfrentamentos e dúvidas que marcaram o ano serão colocadas em debate. É preciso (re) escrever 2016. É tratar a palavra como ação, como instrumento de mudança e ativação social. Entre 30 de novembro e 4 de dezembro iremos ocupar o Mepe (Museu do Estado de Pernambuco) com debates, oficinas e mesas redondas, voltadas aos públicos adulto e infantil

A Semana do Livro de Pernambuco chega cheia de personalidade e força, trazendo temas bastante pertinentes ao momento e apresentando convidados de grande peso (até agora foram anunciados nomes como:  o escritor Bernardo Kucinski, a tradutora, escritora Ivone Benedetti, a jornalista e colunista do EL PAÍS Brasil, Eliane Brum, O crítico literário José Castello, a escritora Elvira Vigna, entre outros gigantes).

Com o pouco que foi liberado, já podemos ver uma diversidade muito grande na programação, que também traz a Bienalzinha e suas atrações (como Josildo Sá com o “Latada para Crianças“, banda  CordelândiaVinicius Viramundos e outros nomes que você pode conferir clicando aqui),  lançamentos de livros e até intervenção teatral com o grupo de teatro Magiluth.

Isso porque muita coisa não foi divulgada ainda, a Semana do Livro de Pernambuco nem chegou e já marca pela qualidade da programação. Com certeza vamos prestigiar e acompanhar tudo isso!

Dica da semana – Extraordinário

E hoje quem dá a dica do livro da semana é o colaborador Gustavo Silva, do blog parceiro Nerd Café. Ele vem falar um pouco sobre: EXTRAORDINÁRIO.

 

Título: Extraordinário

Autora: R.J. Palacio

Editora: Intrínseca

Ano: 2013

Sinopse: August Pullman, o Auggie, é uma garoto como outro qualquer: bem inteligente, fã de Star Wars etc. Mas ele possui uma característica bem incomum em relação às outras crianças: o rosto um pouco deformado, após passar por várias cirurgias, por ter adquirido uma doença rara, o que o fez deixar de frequentar a escola. É aí que começa sua aventura, quando ele decide ir pela primeira vez à escola e encarar uma difícil missão: fazer com que as pessoas vejam o garoto que ele é por trás daquele rosto desfigurado.

 

Opinião

De todos os livros que eu já li, posso considerá-lo um dos melhores, pois ele possui um enredo bem típico de uma família comum e possui uma linguagem super acessível, facilitando o entendimento e o entretenimento para cada faixa etária. Ao ler, pensava que o rosto de Auggie era deformado, mas nada que assustasse, e ainda cheguei a pensar que era exagero dos personagens, mas quando chega na parte que ele comenta como é o verdadeiro rosto do personagem principal, confesso que tive medo e comecei a me sentir na história e a entender como as pessoas viam August. Além disso, a autora consegue passar uma grande mensagem sobre o drama principal, o bullying, mostrando como ele é desenvolvido, por que ocorre e como devemos agir diante disso.

Pontos Positivos: A história é movida por preceitos, mensagens que servem como moral da história, e a partir daí podemos tirar grandes ensinamentos, mesmo em uma leitura tão simples. A história também segue uma linha em que ela é contada várias vezes, mas em visões diferentes e bem resumidas, fazendo com que o leitor relembre de alguns acontecimentos, sem parecer uma leitura cansativa.

Pontos Negativos: Mesmo sendo crianças, suas linhas de pensamento são muito altas, ou seja, há casos em que as crianças parecem ter uma sabedoria e uma inteligência superior às dos próprios adultos – não querendo dizer que crianças não são espertas – mas que o nível delas, na história, é mais do que se espera de uma criança comum.

 

Indicação: Indico a todos os leitores, principalmente aos que estão no período escolar, já que o contexto gira em torno da escola. Indico, sobretudo, a alunos e professores, não só pelo tema, mas também por ter uma linguagem acessível e não exaustiva.

Novidades – A Ilha de Pandora

E para inaugurarmos este espaço falando sobre novidades  e com uma boa indicação, vamos começar pelo livro: A Ilha de Pandora! Este é o primeiro trabalho publicado de Igor Duque como escritor, mas já tem repercutido bem nas redes e encontrado seu espaço.

I. J. Duque é natural de Recife, um jovem amante da cultura nerd, games, séries e da literatura. Divide seu tempo entre as paixões pela escrita e fisioterapia, este é seu primeiro livro e possui um blog onde iniciou o processo de escrita o ilhadepandora.tumblr.com

O autor  lançará sua primeira obra, em um evento  aberto ao público, onde além da sessão de autógrafos, falará sobre o livro e como é entrar no mercado editorial nos tempos atuais.

A Ilha de Pandora é uma ficção voltada para o público adolescente, o livro conta a história de Dimitri Evans, jovem de apenas 19 anos que mora na cidade de Stonechest, local conhecido por suas lendas fantásticas e memoráveis. Contudo, há uma lenda que o chama mais atenção: A Ilha de Pandora. Dimitri tem certeza que esta não é só mais uma ‘fábula de pescador’ e parte em uma jornada cercada de desventuras e mistérios em busca da ilha “onde muitos foram e não voltaram”. Na jornada ele irá se deparar  com uma nova experiência em cada parada e será forçado a entender que nem sempre o Caos é ruim.

Então, se você curte esse tipo de história e quer saber mais sobre essa Ilha Misteriosa, não pode perder esse trabalho. O livro será lançado na Livraria Jaqueira, neste domingo (19 de junho) às 14h.

Link para maiores informações: https://www.facebook.com/events/1213678611985022/